Quais são as metas da sua empresa? Aumentar os lucros, ter maior controle dos processos internos e automatizá-los? Não importa qual seja o objetivo a alcançar, sem uma governança corporativa de TI o caminho a percorrer será mais difícil.

E o que é a governança corporativa de TI? Como ela influencia a gestão de uma empresa? Que benefícios traz e como implantá-la na companhia? Essas perguntas serão respondidas neste artigo. Acompanhe o texto!

O que é governança corporativa de TI?

A governança corporativa de TI é um processo que engloba as estratégias de utilização atual e futura da TI.

Sendo assim, a empresa dirige, controla e avalia a melhor maneira de operar a TI para que dê o suporte necessário a fim de atingir as metas do negócio.

Além disso, a governança envolve monitorar a estrutura de TI para prever possíveis ajustes que precisam ser feitos a curto, médio e longo prazo.

Quais são os objetivos e pilares da governança corporativa de TI?

Para conhecer melhor o propósito da governança corporativa de TI, é essencial analisar os principais frameworks (conjunto de orientações que indicam as boas práticas nos processos de TI), pois eles são os pilares para a construção de uma estratégia eficiente desse processo.

Atualmente, o ITIL v3 e o Cobit v5 são os mais utilizados. O segundo apresenta o que a empresa deve fazer, enquanto o primeiro ensina como realizar a governança, ou seja, tem aplicação mais prática.

No caso do Cobit v5, os seus princípios essenciais para uma boa governança de TI são:

  • satisfazer as necessidades das pessoas que utilizam a TI;
  • atingir todos os setores de uma organização;
  • utilizar um framework integrado e único;
  • permitir uma visão holística; 
  • separar governança de gerenciamento.

Os dois primeiros princípios têm como foco o alinhamento estratégico da TI com a governança corporativa da empresa. Nesse caso, é avaliado como a TI pode fornecer um valor real para a organização e, assim, todos os processos serem orientados para a mesma finalidade.

Já o ITIL v3, pode ser usado como um complemento do Cobit v5, pois orientará a aplicação desses princípios na governança de TI.

Por que é importante alinhar a governança corporativa com a de TI?

Todas as organizações se preocupam em elaborar boas estratégias para o seu negócio. Entretanto, essas metas precisam dar as mãos à TI, pois esse é o caminho para chegar ao alvo estabelecido.

Por exemplo, a boa governança de TI atinge áreas da empresa que não têm a ver com tecnologia, mas que necessitam dela em seus processos. Para entender melhor, digamos que o setor de RH necessite melhorar o seu recrutamento e seleção.

Para isso, a organização adota um software. No entanto, essa ferramenta não atingiria o seu objetivo se a estrutura de TI não fornecesse o ambiente ideal para que o software use todo o seu desempenho.

Em resumo, com esse alinhamento a instituição recebe alguns benefícios, como:

  • deixar a empresa atualizada com as inovações tecnológicas;
  • direcionar os investimentos com relação à estrutura virtual;
  • mudar os processos de TI, tirando esse setor do ângulo apenas operacional para o estratégico;
  • garantir compliance que formalize os processos de controle e auditoria;
  • aumentar a segurança da informação, que, atualmente, afeta diretamente a imagem da organização.

Quais os benefícios em longo prazo da governança corporativa de TI para a empresa?

Empresas bem-sucedidas olham para o futuro com o objetivo de se preparar para chegar bem nele.

Para elas, a governança corporativa de TI é essencial e apresenta diversas vantagens que possibilitam dias posteriores mais tranquilos. Analisando por esse foco, vejamos alguns proveitos desse processo.

Avaliação dos recursos

Não importa se a organização é de pequeno, médio ou grande porte, ela precisa fazer uma boa gestão dos seus investimentos financeiros. Do contrário, o capital pode acabar ou ser insuficiente para investir em uma melhoria necessária na estrutura de TI.

Por outro lado, quando há a governança corporativa de TI, a empresa consegue avaliar melhor os recursos que tem disponível e, assim, utilizá-los de forma estratégica, planejando a sua aplicação nas necessidades reais da empresa.

Maior segurança das informações

Dentro do processo de governança de TI, há o gerenciamento de riscos. Esse aspecto é fundamental para manter a proteção dos dados da instituição. Ainda mais no atual cenário virtual, no qual circulam criminosos ávidos por informações sigilosas de organizações.

Ademais, o gerenciamento de riscos ajuda a empresa a ter controle maior sobre as vulnerabilidades do sistema e até prever alguns possíveis riscos que podem atrapalhar o desenvolvimento do negócio.

Além disso, é possível manter-se atualizado com os novos programas de proteção de informações que impedem o vazamento dos dados armazenados.

Acompanhamento das métricas

Embora seja importante acompanhar as métricas financeiras da organização, existem outros indicadores que também precisam ser mensurados, como produtividade, identificação de falhas e necessidade de melhorias em processos.

Todas essas métricas são feitas pela governança corporativa de TI. Desse modo, a organização consegue implantar melhoramentos que visam otimizar o desempenho de todos os membros da sua equipe interna.

Bom posicionamento no mundo corporativo

As organizações que desejam continuar competitivas e com boa reputação no mundo corporativo precisam fazer a governança corporativa de TI. Afinal, ela será a base para criar boas oportunidades de negócios e dará os meios para conquistá-las.

Ademais, uma empresa que se preocupa com esse processo é vista como inovadora. Essa característica é muito valorizada por profissionais talentosos e por outras instituições que querem formar parcerias de negócios.

Atualmente, companhias assim têm boa employer branding (marca empregadora), fator que influencia até mesmo na aquisição de investidores e acionistas para a marca.

Como montar uma estratégia de governança corporativa?

Em virtude de sua larga experiência, João Carvalho, consultor do Grupo Portfolio, dá algumas sugestões para uma boa estratégia de governança corporativa de TI. Ele resume em cinco os aspectos principais:

  • iniciar o processo com um framework como base de conhecimento;
  • avaliar a maturidade da empresa na sua governança de TI;
  • realizar um diagnóstico sobre as principais dificuldades e gaps existentes entre o negócio e a TI;
  • mapear processos para serem implementados de acordo com o resultado obtido no diagnóstico preliminar; 
  • fazer o PDCA (ferramenta de qualidade com foco em soluções de problemas).

Sem dúvida, realizar esse processo com o apoio de uma empresa especializada potencializa os seus resultados. No entanto, é importante implantá-lo o mais rápido possível para que a instituição continue saudável em seu negócio.

O que achou do nosso artigo? Conseguiu perceber como a governança corporativa de TI pode ajudar na gestão da sua empresa? Então, não perca os próximos conteúdos assinando a nossa newsletter.

Escreva um comentário

Share This