09A percepção do ambiente empresarial, o convívio no local de trabalho e os valores e comportamentos incentivados (explícita e implicitamente) na empresa interferem na qualidade de vida dos colaboradores. Logo, produtividade e desempenho também são afetados. Além disso, quando há problemas em um ou mais desses aspectos, fica difícil alinhar estrategicamente gestão e operação. Para saber se isso ocorre em seu negócio, a solução é realizar um diagnóstico cultural.

Esse processo contribui para o sucesso de uma empresa. Isso porque proporciona informações importantes para os gestores aprimorarem a cultura corporativa e, portanto, as dinâmicas de relacionamento e de cooperação entre profissionais e equipes.

Quer saber como é possível aplicar o diagnóstico cultural e qual a sua importância? Continue lendo e veja as dicas que selecionamos!

O que é cultura organizacional?

A cultura empresarial é a soma de diferentes fatores dentro de uma organização, como:

  • maneira como as pessoas interagem;
  • normas e regras que norteiam a convivência;
  • atitudes, hábitos, crenças, objetivos e valores compartilhados;
  • princípios que refletem a identidade do negócio;
  • políticas de hierarquia, de ética, de comunicação e linguagem e até de vestimenta no ambiente corporativo;
  • modo de a empresa tratar clientes internos (funcionários) e externos (consumidores).

Consequentemente, ela influencia processos, rotinas de trabalho e a gestão do negócio a ponto de facilitar ou dificultar estratégias, mudanças e inovações. Para Edgar Schein, ex-professor da MIT Sloan School of Management, cultura significa:

“Um padrão de pressupostos básicos compartilhados, aprendido por um grupo, à medida que resolvia seus problemas de adaptação externa e integração interna”.

Ainda de acordo com o autor, esse padrão funcionou bem o suficiente de modo a ser tido como válido e, assim, poder ser repassado a membros novos como o modo adequado de se pensar, perceber e de se sentir em relação aos problemas. Basicamente, “um produto de aprendizagem conjunta”. Pode-se dizer que a cultura organizacional tem três níveis:

  • artefatos observáveis — envolve comportamentos, crenças e atitudes da empresa, ou seja, como ela “vê as coisas” e o que acredita ser importante. Nesse grupo, temos valores publicados, declaração de missão, arquitetura, ambiente físico, práticas, tecnologias, estilo (arte, design das publicações, vestimentas), produtos e até mesmo humor, fofocas e tabus;
  • valores adotados — há os defendidos pela liderança e os promulgados, que refletem comportamentos reais dos colaboradores. Nem sempre o que a empresa defende é o que se vê na prática, ou seja, no comportamento dos funcionários;
  • pressupostos básicos subjacentes — muitas vezes também são inconscientes, atuando como determinantes de processos de pensamento, atitudes e ações de uma empresa. São suposições centrais para a cultura do negócio.

Vale destacar que esse terceiro ponto envolve valores normalmente aceitos a longo prazo, que acabam arraigados, além de serem tomados como garantidos. Desse modo, indivíduos costumam desconhecer suas influências. Eles comumente fornecem um ímpeto inquestionável para comportamentos e percepções, bem como senso tácito de segurança.

Qual o papel da cultura no crescimento empresarial?

Cultura organizacional é um dos fatores críticos do sucesso de uma empresa, pois tem grande papel no alcance dos objetivos do negócio. Veja a seguir dois casos em que isso ocorre.

Impacta na adoção de tendências

Uma tendência que tem ganhado força no meio corporativo é a transformação digital, em que se integram tecnologias do mundo virtual a estruturas organizacionais, processos e recursos. Essa mudança será essencial para a sobrevivência e crescimento de muitos negócios nos próximos anos.

Um estudo da BCG apontou que, entre 40 transformações digitais, a proporção de negócios que indicaram avanço ou forte desempenho financeiro chegou a ser cinco vezes maior (90%) entre as empresas que se centraram na cultura. Isso quando comparado às que negligenciaram esse fator (17%).

Portanto, não focar no desenvolvimento de uma cultura digital alinhada aos objetivos da empresa pode ocasionar falhas nesse processo de transformação. Além disso, cerca de 80% das organizações que se centraram em cultura sustentaram uma performance forte ou inovadora — o que é fundamental para quem busca uma boa gestão da inovação. Nenhuma das que não tiveram esse foco alcançou essa conquista.

Aliás, uma previsão da Gartner indica que, até 2021, 80% das organizações de médio a grande porte alterarão sua cultura como modo de agilizar sua estratégia de transformação digital. Outro estudo, mencionado nessa estimativa, também aponta que 67% das organizações já finalizaram ou estavam a ponto de terminar uma iniciativa de mudança cultural.

Isso acontece porque a cultura atual foi tida, em muitas iniciativas, como a maior barreira para uma transformação virtual. Basicamente, 50% das iniciativas desse processo constituem falhas claras, sendo que os CIOs (diretores de tecnologia) relatam a barreira cultural como o principal entrave.

A pesquisa “Cedro Insights — Transformação Digital”, desenvolvido pela Cedro Technologies, indicou um resultado semelhante. Ela aponta que aproximadamente 75% das instituições financeiras já começaram o processo de transformação digital, porém só 25% estão em um patamar mais avançado.

Um dos desafios é alterar a cultura organizacional, sendo que, para 35% dos entrevistados, esse é o principal dilema para se obter resultados mais favoráveis com a transformação.

No entanto, se bem trabalhada, a cultura pode servir como aceleradora da transformação digital, de modo que diretores de TI podem definir a cultura desejada com base em suas escolhas tecnológicas. Aliás, é estimado que, até 2021, eles tenham tanta importância na mudança de cultura quanto os diretores de RH, de modo que a parceria entre ambos pode ajudar no molde de comportamentos de trabalho.

É possível projetar processos e alinhar princípios a traços culturais na empresa, além de levar em conta missão e valores para decidir sobre design de tecnologia e de fluxos de trabalho que fortaleçam a cultura empresarial pretendida.

Dá suporte para a melhora de fatores importantes

Empresas que desejam se tornar mais ágeis também precisam ter atenção em suas culturas organizacionais. Uma pesquisa da Gallup, feita com aproximadamente 9.500 trabalhadores (5.500 nos EUA e 4.000 na Europa), descobriu que somente 30% dos estadunidenses e 36% dos europeus concordavam fortemente sobre haver compartilhamento de conhecimento por parte de colegas.

Ou seja, a maioria dos profissionais não enxergou esse compartilhamento — o que é ruim para uma cultura organizacional baseada em agilidade. Afinal, tanto a execução de atividades internas quanto o atendimento ao cliente podem ser prejudicados quando conhecimentos essenciais são retidos na equipe.

O que significa diagnóstico cultural?

É o processo de analisar a cultura da empresa com base em pesquisas, conversas (formais e informais), avaliações de comportamentos, entre outras ferramentas. O objetivo do diagnóstico é detectar quais são os fatores principais da cultura de uma organização, permitindo que os gestores possam comparar seus resultados com expectativas sobre como ela deveria ser.

Como fazer esse diagnóstico e quais aspectos considerar?

Para começar, você pode buscar um modelo de diagnóstico cultural que esteja alinhado ao seu segmento de atuação. Também precisará levantar os fatores que interessam ao negócio, como:

  • busca por inovação. A empresa adota tendências de mercado? Há antecipação a mudanças em seu segmento?
  • liberdade criativa dada aos funcionários: esse fator contribui para a inovação;
  • cooperação entre equipes. Envolve avaliar aspectos como trabalho em conjunto, comunicação entre colaboradores e troca de conhecimentos;
  • preocupação de líderes com liderados;
  • atenção dada ao desenvolvimento dos colaboradores;
  • níveis de engajamento e busca por maior envolvimento;
  • sentimento do funcionário na empresa. Veja se suas atividades permitem que ele entenda como contribui para o alcance dos objetivos da empresa;
  • liderança centrada em valores. Há alinhamento de estratégias com visão, missão e valores organizacionais? Esses valores são considerados na tomada de decisões? Os líderes os reforçam em seus comportamentos? Eles “dão o exemplo”?
  • qualidades dos gestores. São carismáticos, acolhedores, receptivos, criativos ou visionários?
  • estruturação de processos. Os sistemas e processos são organizados? Há padronização de atividades?
  • foco em eficiência. Há entrega de recompensas com base em critérios claros, de modo a estimular o bom desempenho? A eficiência é um objetivo reforçado constantemente?
  • incentivo à qualidade de vida. A empresa se preocupa com o bem-estar de seus funcionários? Isso é percebido em suas práticas?

Para avaliar esses itens, você pode analisar avaliações de desempenho e utilizar pesquisas com base em questionários. Nesse caso, dá para usar ferramentas digitais (formulários Google, SurveyMonkey).

Também é importante conduzir conversas formais, com base em roteiros, e informais. Outro ponto importante é ter atenção ao ambiente interno, a fim de notar padrões de comportamento que destaquem aspectos da cultura local.

De que maneira o diagnóstico cultural contribui para o sucesso do negócio?

O diagnóstico cultural entrega dados valiosos aos gestores, que permitem saber quais aspectos culturais se sobressaem na empresa. Podem ser avaliados os valores estabelecidos e os que realmente estão em vigência no cotidiano organizacional.

Dá para analisar se há uma cultura voltada à inovação, à inclusão de novos colaboradores, ao fomento da diversidade etc. É possível entender se a cultura fomenta ou dificulta a aplicação de mudanças importantes, como a citada transformação digital, e de estratégias. Com base nisso, é possível tomar decisões sobre processos e ações que devem ser implementados para alinhar a cultura atual ao que se deseja.

Por fim, se você tiver dificuldades para realizar um diagnóstico cultural do seu negócio, a dica é buscar uma consultoria em gestão que tenha conhecimentos na área. Ela poderá auxiliar você a analisar aspectos culturais que mais impactam no funcionamento e nos resultados da sua empresa.

Para acompanhar dicas, tendências e outras informações em gestão, assine nossa newsletter e passe a receber avisos de nossos próximos conteúdos em seu e-mail!

Escreva um comentário

Share This