Category

Inovação

Category

Gestão da inovação — Veja o que a sua empresa pode ganhar com isso!

Nos últimos anos, o mercado vem se tornando cada vez mais dinâmico e volátil. Empresas que dominaram o panorama por décadas com o mesmo método de atuação foram obrigadas a se adaptar às novas tendências.

Nesse processo, a gestão de inovação tem alta relevância, especialmente em razão de que mudar sem o devido cuidado também pode levar um negócio à falência de forma rápida. Por isso, a melhor atitude é aplicar as melhores práticas em gestão da inovação na sua empresa.

Como o nome indica, tal forma de gestão é um conjunto de práticas que busca aplicar da melhor forma novas ideias em uma organização. Dessa maneira, nada será implementado sem o devido planejamento, conseguindo tirar o melhor proveito possível de todas as mudanças necessárias.

Ainda não entende bem como a gestão de inovação funciona? Então, continue lendo e veja seus benefícios e como você pode adotá-la.

Que vantagens a gestão de inovação traz?

Evolução constante para a empresa

O principal propósito da inovação em diversas empresas é justamente acompanhar as alterações do mercado. Como mencionamos, o público em geral está cada vez mais dinâmico, mudando seus hábitos de consumo com frequência e sempre procurando novas informações para embasar suas decisões de compra.

Com uma boa gestão, é possível continuar inovando em seu setor, criando diferenciais de mercado para sua empresa. Acima de tudo, essas práticas tornam a evolução parte da rotina, sempre mantendo um ritmo adequado em relação ao mercado. Afinal, se você for deixado para trás, poderá comprometer sua relevância.

Administração correta de riscos

Um erro comum em empresas que não praticam a gestão da inovação é arriscar boa parte de seu capital, talvez ele inteiro, sem nenhuma proposta de retorno. É isso que leva muitas novas empresas a se perderem em menos de um ano, além de trazer uma má reputação às inovações organizacionais.

Gerir inovações também significa administrar os riscos que elas trazem. Trabalhando corretamente esse aspecto do negócio, você pode minimizar suas chances de perda e sempre ter um plano de contingência caso algo saia do seu controle. É a forma mais sensata e eficiente de inovar em um mercado volátil e de alto risco.

Ao mesmo tempo, é importante entender que o risco é inerente à atividade empreendedora e, especialmente, à inovação. Uma cultura rígida que não admita, coíba e puna os erros desestimula o processo criativo e mesmo a manifestação de novas e promissoras ideias.

Quando um colaborador se sente ameaçado com advertências exageradamente severas em relação a situações em que cometeu algum erro, ele tende a evitar qualquer iniciativa que fuja do padrão, pois, desse modo, ele pode justificar qualquer problema com o argumento de que seguiu as regras à risca.

Por isso, quando falamos de administrar riscos, nos referimos a uma ação equilibrada que, ao mesmo tempo em que evita a aposta em projetos inviáveis, promove uma cultura interna favorável à inovação.

Efeito na cultura empresarial

Essa cultura interfere diretamente na aceitação de novas ideias por parte da alta gestão de uma empresa, que certamente afeta a maneira como a maioria dos colaboradores atua no dia a dia.

Se seu negócio é propenso a buscar novas ideias em vez de se prender a métodos mais antigos de atuação, provavelmente suas equipes seguirão a mesma tendência.

Um bom trabalho de gestão da inovação pode promover a criatividade no cotidiano do negócio não apenas em larga escala, promovendo o equilíbrio que mencionamos no tópico anterior. Ou seja, você pode instruir sua equipe para que essas ideias sejam aplicadas com a cautela necessária, sem riscos que poderiam ser evitados.

Maior rentabilidade e longevidade para o negócio

Obviamente, qualquer investimento ou mudança precisa garantir o crescimento do negócio. Sem essa perspectiva, nenhuma inovação seria realmente atrativa para os que estão à frente da companhia. Se você planejar e gerir corretamente essas novas ideias, poderá filtrar aquelas com maior potencial de retorno.

Como dissemos, a evolução de um negócio é imperativa para que ele continue apresentando bons lucros. Quanto mais tempo sua empresa puder se manter estável, mais ela poderá crescer, atrair clientes e continuar proporcionando rentabilidade para todos.

Como aplicar a gestão de inovação corretamente?

Torne-a parte da sua estratégia

A melhor maneira de manter um ritmo estável de inovações é transformá-las em parte da sua rotina. Se seus procedimentos já envolvem um ciclo de autocrítica e busca por novas soluções, é mais fácil aplicar as ideias aos seus processos. E se essas mudanças forem parte de sua estratégia, suas chances de sucesso serão bem maiores.

Este passo é relativamente simples. Basta que você inclua momentos para sugerir novas ideias, promover brainstorms e lapidar essas sugestões em cada reunião de rotina. Mesmo que algumas dessas ideias não sejam implementadas, elas ainda podem ser aproveitadas no futuro, além de normalmente inspirarem alternativas de inovação.

Envolva todos os colaboradores

Para bem ou para mal, alterações no funcionamento da empresa afetam todos os colaboradores. Sendo assim, você vai precisar da cooperação de cada um deles se quiser tirar maior proveito possível de suas novas ideias, uma vez que sejam colocadas em prática.

Por isso, é vital que você envolva os membros das suas equipes nesse processo, coletando opiniões e comunicando o que precisa deles. Além de transmitir instruções, essas conversas também ajudam a identificar os principais pontos de risco e as resistências do seu time.

Como seus colaboradores atuam diretamente nos processos, eles podem notar problemas que passariam despercebidos à alta gestão.

Foque os objetivos certos

Ao implementar essas mudanças, é muito importante que você não perca seus objetivos de vista. Várias empresas começam a aplicar inovações em suas rotinas, mas logo se desviam do plano original. Nesse ponto, um novo processo ou ferramenta se torna um fim em si mesmo, sem contribuir realmente para o negócio.

Para evitar que este seja o seu caso, sua gestão da inovação deve marcar muito claramente qual é o propósito de cada mudança realizada na empresa, quais são seus prós e contras e como ela será conduzida. A cada reunião, lembre-se de reforçar tais pontos para a equipe, a fim de que ninguém se desvie demais desse caminho.

Sempre mensure os resultados

Por fim, você deve sempre acompanhar os resultados gerados pelas suas mudanças. Sem métricas precisas de desempenho, você dificilmente terá como apontar se seu planejamento teve bons resultados ou não. Em um primeiro momento, encontre os indicadores que melhor reflitam os resultados que busca. Rentabilidade, ticket médio, tempo de resposta, índice de satisfação do cliente etc.

Depois, encontre um método de mensuração eficaz. Um software, enquetes, dados de mercado, entre outros formatos de monitoramento. Ao final, você deve comparar os números obtidos com suas projeções e tirar suas conclusões.

Agora que você conseguiu entender o que é a gestão da inovação e como aplicá-la de forma eficiente em sua empresa, é hora de começar a evolução do seu negócio. Nessa jornada, é fundamental entender como uma consultoria em gestão da inovação ajuda nessa caminhada. Confira:

Como a consultoria especializada pode ajudar na gestão de inovação?

Uma consultoria tem a vantagem de enxergar sua organização com um olhar externo. Ao contrário de quem está envolvido com a rotina diária, ela não está presa aos paradigmas organizacionais e aplica uma metodologia baseada em evitar problemas antes que ocorram.

Como se diz muito no meio empresarial, os colaboradores tendem a atuar como bombeiros, apagando incêndios; o consultor trabalha para evitá-los. Ele não tem nenhum compromisso com equívocos e deficiências, ao contrário, ele é centrado no objetivo de eliminar gargalos operacionais e melhorar as práticas de um ponto de vista proativo.

Desse modo, a consultoria já é uma iniciativa que promove a mudança. Essa é uma característica essencial do trabalho, e, como vimos nos tópicos anteriores, a inovação não é, necessariamente, uma revolução do negócio, mas pode ser aplicada por meio de mudanças pontuais na forma de comercializar, distribuir e até administrar a operação.

Contudo, a consultoria em gestão de inovação é muito mais focada na transformação do que qualquer outro tipo de consultoria. Ela visa desenvolver um modelo que garanta que a mudança seja incorporada à cultura e aos processos organizacionais.

Desse modo, ela começa com um estudo sobre a situação atual da empresa. Nesse diagnóstico, a consultoria identifica como a empresa opera nas várias dimensões em que a inovação ocorre em um empreendimento. Com base nessas informações, o trabalho segue com a aplicação e a capacitação na utilização de ferramentas específicas.

Elas vão garantir que a empresa possa avaliar os seus projetos de inovação, selecionar os mais viáveis e adequados ao negócio, elaborar protótipos dessas soluções inovadoras, testá-las e, finalmente, escalá-las no mercado. De forma simplificada, é nisso que consiste o processo de gestão da inovação.

Quais as vantagens de uma consultoria em gestão da inovação?

Obviamente, o primeiro benefício de uma consultoria em gestão da inovação é a própria inovação. Contudo, você pode imaginar que ela pode ser desenvolvida de forma independente. Por isso, vamos nos concentrar nas diferenças dela em relação a um projeto interno. Confira:

Profissionalização da gestão de inovação

Você certamente não acredita que empresas como o Google inovem por sorte ou apenas porque têm a inovação arraigada desde a sua fundação. Mesmo que a maioria das empresas não pretenda assumir uma posição de tamanho destaque no cenário mundial, é preciso reconhecer que, por trás do sucesso de algumas empresas gigantes do mercado, existem condições que as favorecem.

Elas nem sempre foram as maiores empresas. Chegaram a esse patamar em razão do que construíram. Antes de tudo, é possível observar que elas têm uma estrutura desenhada, arquitetada e implantada com base em conhecimento e tecnologia.

As empresas mais inovadoras não apenas servem de exemplo e para estudo, como foram concebidas a partir de outros exemplos e estudos. Elas revelam um método conhecido e eficaz na promoção da inovação.

Uma boa empresa de consultoria vai implantar essas práticas no seu negócio na medida e na dimensão que ele precisa. Ou seja, adequadas ao porte e à natureza da sua empresa.

Aumento da possibilidade de captação de recursos

Um dos grandes gargalos na aplicação da inovação para empresas brasileiras está na falta de capital para promoção das mudanças necessárias. Obviamente, essa carência varia de caso para caso, mas sempre dificulta que as organizações consigam grandes saltos de participação no mercado, como aconteceu com várias empresas no Vale do Silício, que convivem com outra realidade.

Agora imagine: você é um investidor e procura empresas inovadoras nas quais possa investir, pois sabe que elas são mais lucrativas e promissoras. Nesse caso, você preferiria uma organização capacitada em gestão da inovação? Ou uma que desenvolve sua transformação de forma intuitiva?

Uma consultoria em gestão da inovação é como uma certificação de sua capacidade de gerir a transformação de forma profissional, eficiente e promissora. Além disso, ajuda a empresa e a equipe a desenvolver as capacidades necessárias à divulgação e apresentação de seus projetos.

Talvez o seu projeto não demande por grandes investimentos, ou mesmo você não esteja disposto a permitir qualquer espécie de participação na sua empresa. Contudo, a mesma lógica do investidor vale para qualquer forma de financiamento.

O gerente do banco considera a capacidade da empresa de colocar um projeto em prática ao financiá-lo. O governo faz o mesmo nos seus programas de fomento à inovação, como o Tecnova, que já ocorreu anteriormente com oferta de verbas a fundo perdido e agora opera com um novo modelo. O programa está em fase de contratação de instituições parceiras para sua versão de 2019.

Processos mais simples

Pode ser muito complicado gerir a inovação sem aplicar práticas testadas e aprovadas. É fundamental entender que a inovação não ocorre por meio de medidas complexas e complicadas, mas justamente o contrário.

A gestão da inovação se utiliza de ferramentas extremamente ágeis e funcionais. Dentre elas, podemos citar o Canvas e o Design Thinking, que, cada um de acordo com seus objetivos, facilitam que a inovação flua.

Estamos falando de uma iniciativa que depende da dinâmica, por isso é tão importante se cercar das ferramentas e práticas corretas. Processos complexos são, de certa forma, antagônicos à inovação. Ou seja, eles simplesmente são o contrário dela.

Formação de parcerias

As consultorias de gestão da inovação conhecem e estão inseridas em um cenário que as empresas tradicionais ignoram. Elas fazem parte dele e interagem com ele. Você imagina, por exemplo, que no Brasil existam iniciativas de geração de energia a partir da dispersão de vapor de caldeiras?

Ou calcinhas ecológicas que substituem os absorventes femininos? Um sistema que usa água como combustível para aquecer silos de cereais? Ou mover motores? Todas essas iniciativas estão ocorrendo e são reais, mas a maioria das empresas as desconhece.

Talvez elas não tenham nenhum impacto no seu negócio, mas são só exemplos. O fato é que uma consultoria tem conhecimento sobre outras empresas, ferramentas e sistemas pensados sob uma ótica de inovação e presentes no ecossistema de inovação. Ela vai te apresentar um novo mundo!

Eliminação de desperdícios

O processo profissional de gestão da inovação é bastante voltado à seleção dos projetos que serão levados adiante. Embora, como comentamos, a inovação seja uma atividade com certo risco, é perfeitamente possível minimizá-lo ao aplicar os métodos certos.

Desse modo, sua empresa evita levar projetos inviáveis muito longe. Na verdade, a gestão de inovação começa com uma boa seleção. Ferramentas simples e fáceis de usar cumprem a função de testar as soluções no mercado antes de desenvolvê-las completamente.

Isso permite fazer ajustes e adaptações nos projetos, e não apenas abandonar as propostas com poucas chances. Com o método certo, cada iniciativa abandonada se torna uma experiência que será aproveitada naquelas com maior chance de sucesso.

Como vimos, neste texto ficou claro que a gestão de inovação é uma atividade que precisa ser incorporada à cultura da organização. Inovar um negócio depende de que as novas ideias sejam, de fato, aplicadas com sucesso no mercado. Do contrário, você pode desenvolver a mais brilhante invenção imaginável, mas ela não terá um efeito satisfatório.

Manter-se informado é um dos requisitos fundamentais para estimular a criatividade e aprimorar as capacidades de gestão da mudança. Por isso, assine nossa newsletter e garanta o recebimento de nossas dicas e sugestões!