Há algum tempo ainda encontrávamos profissionais que permaneciam a vida inteira na mesma organização. Durante esse período, muitos desses trabalhadores conseguiam crescer dentro da empresa e atingir um posto de liderança. Apesar disso, não raro, alguns ficavam desmotivados com o percurso de sua ocupação. Devido a essa reação, surgiu o conceito da carreira em Y.

Mas o que significa esse modelo de trajetória profissional? Quais são as vantagens? Como se preparar para adotá-lo na sua carreira? Acompanhe nosso artigo e descubra!

O que é a carreira em Y?

O formato da letra Y já sugere o significado desse tipo de carreira, pois percebemos um traço que se separa em dois. Sendo assim, a carreira em Y é linear até certo ponto

Desse modo, evita-se a situação descrita no início do artigo, na qual o funcionário só tinha duas opções: aceitar a sua estagnação profissional ou pedir demissão e tentar novos desafios em outra empresa.

Por outro lado, esse conceito permite, por exemplo, que um colaborador decida seguir a direção rumo a um cargo gerencial ou especializar-se em uma área técnica com que se identifique. Em contrapartida, as instituições também ganham quando adotam a carreira em Y na sua gestão interna, uma vez que aproveitam melhor as competências e as habilidades dos colaboradores.

Dessa forma, conseguem alocar o funcionário em um cargo compatível com o seu perfil profissional, fomentando a sua motivação e aumentando o seu rendimento na empresa.

Quais são os benefícios desse roteiro empresarial?

Podemos apontar inúmeros pontos positivos no modelo de carreira em Y. Dentre os principais, estão:

Mobilidade de ascensão de carreira

A mobilidade tornou-se presente não só no mundo virtual como também no empresarial. Boa parte dos profissionais mais jovens deseja ter uma trajetória corporativa ditada pela flexibilidade e adaptabilidade — ingredientes próprios da mobilidade.

Essa realidade abre um cenário: as corporações procuram por esse tipo de profissional e educam o seu time nos moldes da carreira em Y. Para isso, utilizam tecnologias no recrutamento e na seleção interna que identifiquem trabalhadores com um perfil voltado para mobilidade.

Autonomia

A empresa consiste em uma relação de interdependência entre todos os colaboradores. Porém, é importante que haja um espaço para a autonomia, embora, infelizmente, essa liberdade ainda seja pouco difundida nas organizações.

Quando é implantada a carreira em Y, aos poucos os funcionários começam a ganhar mais independência. Longe de ser algo negativo, ter uma margem de iniciativa estimula a proatividade, a satisfação e a motivação dos colaboradores.

Quando atingem um cargo, percebem que foi o resultado de suas próprias escolhas e que a instituição deu todo o suporte durante o percurso até alcançar essa meta. Outro resultado positivo pode ser o aumento do engajamento interno, visto que eleva também o senso de responsabilidade dos colaboradores na participação das estratégias do negócio.

Desenvolvimento profissional

Uma vez que o funcionário está exercendo uma função ou cargo compatível com as suas competências, o seu desenvolvimento profissional é otimizado. Quanto mais conhecimento obtiver, maior será o aperfeiçoamento dos seus serviços até que a excelência seja alcançada.

Com essa reação da parte dos funcionários, a empresa ganha outra vantagem: a potencialização do programa interno de treinamento e capacitação. Desse modo, reduz o tempo e os custos vindos de uma aplicação demorada das técnicas e metodologias nos serviços do time.

Retenção de talentos

Muitas empresas gastam uma grande soma em dinheiro para criar estratégias eficientes para a retenção de talentos. Por outro lado, os profissionais se esforçam bastante para serem prodígios que a instituição não quer desperdiçar. Para ambos os casos, a carreira em Y é a solução.

Com o time entusiasmado com o seu roteiro empresarial, a organização reduz o turnover (rotatividade) e eleva a sua employer branding (marca empregadora), conseguindo assim, manter os colaboradores de alto rendimento no seu ambiente interno.

Já os funcionários aderem à versatilidade tão desejada pelas corporações modernas, já que as constantes mudanças repentinas no mundo empresarial e a alta concorrência exigem transformações e decisões rápidas por parte dos líderes e liderados.

Como se preparar para esse modelo de gestão de carreira?

Não é todo mundo que se adapta à carreira em Y. Assim como toda metodologia, é preciso preencher ou desenvolver alguns requisitos para ter sucesso nesse processo. Vejamos algumas dessas características.

Ânsia pelo conhecimento

É necessário ter gosto pela leitura, por especializações e treinamentos corporativos. Isso é importante porque, diferente da trajetória profissional linear, a trajetória em Y não permite que o colaborador permaneça na sua zona de conforto.

Sendo assim, a qualquer momento será testada sua capacidade de inovação, de solução de problemas, de análise técnica e de conhecimento aprofundado para encontrar novos rumos para a sua carreira.

Aperfeiçoamento das competências

O roteiro corporativo em Y demanda um contínuo progresso das competências profissionais. Sendo assim, se o colaborador tem, por exemplo, facilidade de lidar com pessoas, envolvê-lo em atividades que exijam o trabalho em equipe ajudará a ampliar e potencializar essa habilidade.

Em contrapartida, o funcionário precisa se colocar em situações que o permitam desenvolver a arte de conviver com os outros, participando, por exemplo, de eventos corporativos, processos de gamificação e projetos colaborativos.

Foco em resultados

Estabelecer e alcançar metas são ótimas maneiras de se preparar para a carreira Y. Conforme foi bem explicado, esse padrão de trajetória profissional não segue um roteiro pré-definido pela instituição.

Então, se o colaborador deseja ser um especialista na área de RH, ele o poderá ser, desde que mantenha esse objetivo em mente e trabalhe bastante para alcançá-lo. Para isso, talvez seja preciso uma nova graduação, MBA ou um curso específico.

Versatilidade

Ser versátil significa ser adaptável. Traduzindo para o mundo corporativo, envolve ter a habilidade de trabalhar em funções diferentes no decorrer da vida. Para ter sucesso na carreira em Y é fundamental ter essa característica.

Para desenvolvê-la, o profissional pode tentar realizar as suas tarefas de maneiras diferentes ou aderir ao programa de rodízio de funções, caso tenha esse processo na empresa. Um dos grandes benefícios da versatilidade é não paralisar em um cargo ou empresa.

Enfim, a tendência para os próximos anos é que os profissionais tenham trajetórias menos lineares e com mais alternativas. Como vimos, as vantagens desse modelo de carreira são sentidas pelas empresas e pelos colaboradores.

O que achou de nosso artigo? Entendeu o conceito da carreira y e como se preparar para ter os benefícios dela? Para aprofundar ainda mais o seu conhecimento, entenda como a gestão de carreira pode mudar sua trajetória profissional.

Escreva um comentário

Share This